Cena e contágio

28/01/2010

José Tonezzi
doutor em teatro
Departamento de Artes Cênicas | Universidade Federal da Paraíba

resumo Guiada pela compreensão de processos históricos e estéticos que compõem a relação e a percepção social dos distúrbios do corpo e da mente humana, a presente reflexão se configura em torno da contribuição trazida pelas disfunções do corpo e do comportamento para o processo de criação teatral e de experiência estética. Longe de significar uma prática de inclusão, de tolerância ou de compaixão para com excluídos sociais, a contaminação aqui diz respeito a uma prática que incide no trabalho de grupos e encenadores do teatro contemporâneo, como Pippo Delbono (Itália) e Robert Wilson (Estados Unidos). A reflexão identifica o momento de aproximação entre a atividade teatral e os distúrbios de ordem física e mental, concluindo que, embora atingindo sua maturidade bem recentemente, a apropriação cênica das anomalias tem suas origem nas exibições de feira do séc. XVIII, desenvolvendo-se nos entre-sorts e nos freak shows do séc. XIX, para se estabelecer efetivamente com o advento de movimentos artísticos, como a body art e a performance, no correr do séc. XX. O trabalho é fruto de pesquisa desenvolvida junto ao Programa de Pós-Graduação em Artes Cênicas da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO).

trabalho completo [clique aqui]

%d bloggers like this: