Início > filmes e vídeos, [4] som | imagem | movimento > ESTADO DE EXCEPÇÃO CITAC: um projeto etnohistórico (1956-1978)

ESTADO DE EXCEPÇÃO CITAC: um projeto etnohistórico (1956-1978)

05/03/2010

Duração 45 minutos
sinopse Estado de Exceção é um documentário sobre o CITAC (Círculo de Iniciação Teatral da Academia de Coimbra), um grupo de teatro universitário, revelando a História desde que é constituído em 1956 até ao rescaldo da revolução de 1974. É a história do grupo de teatro universitário e, através dela, da história do teatro em Portugal, revelando duas décadas marcantes da História de Portugal. Através da Academia de Coimbra, o documentário reproduz a vida estudantil, a posição da mulher na sociedade, e a mudança de mentalidades de ser e estar no mundo. Reproduz a censura existente e a luta contra a ditadura, a resistência a um regime que se esgotava, bem como as contradições emergentes da revolução democrática.
O CITAC tem uma herança de 50 anos de vivências em Coimbra. Transporta consigo a possibilidade da formação teatral e cívica de corpos pensantes, constituindo um novelo próprio de um modelo possível, geração em geração, entre os estudos, o teatro, e o drama social. Antes da revolução democrática e através do teatro resistem, escapando às tentativas do governo erradicar os princípios democráticos dentro dos vários grupos da Associação Acadêmica. Depois da revolução, este ethos aparece na crítica e radicalismo, confrontando as possibilidades democráticas e do Estado em construção, e questionando-o através da performance.
O CITAC transporta consigo a história de um país que ainda hoje se procura esclarecer, esse povo que parece incapaz de se inscrever, essa lacuna na consciência que trabalha no nevoeiro como o de José Gil. Mas porque se quer inscrita, esta história, constitui-se como exceção ao comum entrevar da vida portuguesa, um ethos que se mantém até aos nossos dias. O CITAC torna-se assim uma janela aberta para o mundo.

Concepção e realização Ricardo Seiça Salgado
Câmara Joana Bem-Haja
Montagem Tiago Hespanha, Luísa Homem
Pós-produção de imagem João Dias
Mistura de som Nuno Morão
Design Gráfico Whatever ™
Produção CITAC, projeto BUH!
Pós-produção Project BUH! / TERRATREME
Músicas
“Sonate No.5 Op. 102 No.2 (I Allegro Con Brio)”, L. V. Beethoven
“Romance N.º 1”, Carlos Paredes
“Cantar de Emigração”, Adriano Correia de Oliveira
“Canta Camarada”, José Afonso
“Canon alla Duodecima, in Contrapunto alla Quinta”, J. S. Bach
Patrocínio Fundação Calouste Gulbenkian, Reitoria da Universidade de Coimbra, 120 Anos de Associação Acadêmica de Coimbra
Apoio TV AAC, Pedro Medeiros

Agradecimentos
A todos os (ex)citaquianos que aceitaram ser entrevistados, pela sua prontidão e energia positiva para falar. Aos que cederam documentos, em especial ao António Lobo Fernandes, pelas imagens super-8 da crise de 1969.
Uma palavra especial também para todos aqueles que passaram pelo CITAC, são eles o sumo do ethos do CITAC.
Um agradecimento ao Dr. Faria e Costa (Presidente do Conselho Directivo da Faculdade de Direito da Universidade de Coimbra), Ao Dr. Artur Ribeiro (Museu Acadêmico de Coimbra), ao Museu da Resistência e ao Centro de Documentação 25 de Abril pela colaboração.
Um agradecimento de amigo também ao Pedro Medeiros, ao Joel Vasconcelos e à Joana Bem-Haja.

%d bloggers like this: